Retrato Fadado
<< voltar  

Passo a passo
eu me vendo
pouco a pouco
morto por dentro

Eu me vendo
triste enfado
pelo menos
quem dá mais

Sem sentido
eu me vendo
sigo cego
nessa dança sem fim

a disfarçar
de dó em dó
sempre numa nota só

a distorcer
de sol a sol
obrigado a pagar pra ver

sem querer desprezar
não muda nada afinal
quis não ver desandar
o tempo vai socorrer

desfazer
disparar
desprazer
dispensar
desmentir
desvendar

Passo a passo
eu me rendo
sem escolha
tudo concedo

Desalmado
eu me rendo
força bruta a laborar

Eu me rendo
e teço em mil nós
minha história
falsa dança


 

 
 
<< voltar