Fantasia em Lá Menor
Fuga Dançante Baile Mascarado
<< voltar  

Pula de galho em galho macaco de imitação
Era oito hoje é um milhão
Metade macaco metade camaleão
Nada pelo ar, a espera de um vilão

Super-Conservador, conserve a sua dor
teu desprezo é frustração
metade macaco metade vegetação

Superados por superstições
se todo mundo diz que é bom, pra mim tá bom também
mas há um abismo imenso entre o bom senso e o senso comum

Gira a vida infinita
egos cegos a bailar
farsa valsa falso bem
esconde o que vem
Réquiem! descanse em paz eterna
condenados a bailar

Ó espetáculo perverso!
Sangra a carne a putrefar
e a ciranda sem fim prosseguirá

Brindemos, comamos, nos fartemos à vontade
A gargalhar babando bebamos no gargalo o culto à continuidade
pois no baile mascarado, celebração suprema da liberdade
vive-se enfim o prazer pleno isento do peso da responsabilidade
E quanto mais cruel castiga o massacre mais alto toca a orquestra
Brindemos, comamos, dancemos
A vida é um baile, a vida é uma festa.

 
 
<< voltar